Em um ano, ROLAMOÇA economiza 60% na conta de energia com instalação de usina fotovoltaica

As contas de luz da ROLAMOÇA ficaram mais baratas após a instalação de painéis solares na sede da empresa, em julho de 2019. Em um ano, a redução alcançou 60% de economia.

A inspiração para o projeto surgiu durante viagens ao exterior, quando a direção da empresa observou que as usinas fotovoltaicas já eram uma realidade em outros países. “Essa iniciativa está embasada nos três pilares da sustentabilidade: o econômico, o social e o ambiental”, reflete o diretor da ROLAMOÇA, Alexandre Dullius.

Enquanto o pilar econômico se sustenta por meio da economia de 60% em energia elétrica, o pilar social possibilitou a independência energética e, por consequência, a climatização total da empresa, criando um melhor ambiente de trabalho. Já o pilar ambiental levou a ROLAMOÇA a deixar de emitir 37 toneladas de CO2 por ano. “Tendo isso em vista, se torna muito atraente, benéfico e rentável para a empresa fazer esse investimento”, avalia Alexandre.

A aposta na usina fotovoltaica apresenta retorno satisfatório. Mais de 20% do investimento já foi compensado na forma de economia. Além disso, os impactos ambientais causados pela indústria também diminuíram de maneira considerável: as 690 placas solares que cobrem as instalações poupam, todos os anos, 150 árvores de absorver CO2. “Dizemos que ‘produzimos roupas com energia limpa’. Fazer parte desse movimento em prol do meio ambiente é muito valioso para marca, pois estamos olhando para frente e dando o poder de escolha ao consumidor que, assim como nós, está pensando em um planeta melhor”, declara a diretora da ROLAMOÇA, Lia Dullius.

A ROLAMOÇA trabalha constantemente para ser autossuficiente. Conforme Alexandre, as previsões levavam a uma economia substancial e um payback eficiente, projetado para seis anos. Hoje, esse período já caiu para cinco anos. “A tecnologia é fascinante ao criar possibilidades tão complexas e eficientes. Instalar a usina fotovoltaica foi um grande acerto”, comemora o diretor. Uma das expectativas é, no futuro, armazenar a energia elétrica excedente, produzida em finais de semana, em baterias para consumi-la durante a semana.

 

As 690 placas solares que cobrem as instalações da ROLAMOÇA poupam, todos os anos, 150 árvores de absorver CO2.

 

 

SmartFlowerSolar

Primeira a ser instalada no país, a SmartFlowerSolar também é uma das responsáveis por produzir energia solar, integrando o projeto fotovoltaico da empresa. É possível admirar o seguidor solar ao passar em frente à indústria, na BR-386, em Estrela.
À luz do dia, a SmartFlowerSolar se abre em forma de flor e se movimenta em direção ao sol, retendo o máximo de luz. A dinâmica se assemelha à de um girassol. Já à noite, a flor se fecha.

À luz do dia, a SmartFlowerSolar se abre em forma de flor e se movimenta em direção ao sol, retendo o máximo de luz.

 

 

Responsabilidade ambiental
            Entre os valores da filosofia organizacional da ROLAMOÇA está a responsabilidade ambiental. Os projetos sustentáveis ganharam mais ênfase e importância com a presença da diretora de comunicação e marketing, Ana Dullius, filha de Lia e Alexandre. “Trabalhar com menos impacto ao meio ambiente assumiu um lugar ainda mais importante na atualidade. Essa preocupação genuína tem um forte apelo das novas gerações e chegou até nós, com a atuação da nossa filha na empresa. Hoje, a sustentabilidade está nos nossos valores e o objetivo de sermos uma empresa mais amiga do meio ambiente se faz presente em nosso dia a dia”, conta Lia.

Para Ana, as iniciativas pró-ambientais da empresa podem estimular um olhar mais atento da comunidade para as questões sustentáveis. “É impressionante ver a agilidade com que os projetos saem do papel e se tornam realidade por aqui! Considero como um incentivo para que outras indústrias e a sociedade invistam em sustentabilidade”, ressalta a diretora.

Diretores da ROLAMOÇA, Ana, Alexandre e Lia Dullius, têm a sustentabilidade como valor familiar e empresarial

 

 

Moda sustentável
            A preocupação com o meio ambiente vai muito além das práticas internas e cotidianas da ROLAMOÇA. A marca desenvolveu a coleção eco-friendly, com peças produzidas a partir de tecido biodegradável. “É uma tecnologia que só começa a agir no momento em que a peça for descartada no aterro sanitário. Ao contrário das fibras comuns, que demoram décadas para se decomporem, o fio biodegradável se decompõe em menos de três anos”, explana Lia.

A partir do retorno comercial, é possível perceber a identificação das consumidoras com os valores ambientais, uma vez que a linha eco-friendly apresenta grande aceitação.

Para a próxima estação, uma novidade no quesito sustentável: foram selecionados tecidos de algodão provenientes de fiações com certificado internacional BCI (Better Cotton Iniciative). “Essa organização promove um ciclo ecologicamente sustentável, com rastreabilidade do campo até a produção final do tecido”, revela Ana.

MAIS NEWS